sábado, 30 de novembro de 2013

Assassinatos de indígenas no Brasil crescem

Assassinatos de indígenas no Brasil crescem 269% nos governos Dilma e Lula

Publicado . em Denúncia
Integrantes da cúpula petista já contabilizam a crise indígena na conta das falhas de articulação política do governo Dilma, assim como ocorreu com a MP dos Portos
Ricardo Galhardo

São Paulo - Os assassinatos de indígenas no Brasil aumentaram 269% nos governos petistas de Luiz Inácio Lula da Silva e Dilma Rousseff em comparação com os oito anos do tucano Fernando Henrique Cardoso, segundo dados do Conselho Indigenista Missionário (CIMI), órgão ligado à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).

"Metade dos documentos de posse de terra no Brasil é ilegal"

"Metade dos documentos de posse de terra no Brasil é ilegal"

Publicado . em Meio Ambiente Rural
A afirmação é do geógrafo Ariovaldo Umbelino, para quem o programa Terra Legal permitirá que terras do patrimônio público ocupadas ilegalmente se transformem em propriedade privada
Por Marcella Lourenzetto

geógrafo, pesquisador e professor da USP Ariovaldo Umbelino fala sobre a situação de propriedades que utilizam terras retiradas do patrimônio público ilegalmente, os famosos casos de grilagem, e também se diz contrário ao programa “Terra Legal” do Governo Federal.

civilizações destruídas por mudanças climáticas?

Cinco civilizações destruídas por mudanças climáticas

Publicado . em Mudanças Climáticas
Por Cesar Grossmann

Será que as grandes civilizações do passado desapareceram por causa de mudanças climáticas? Esta ideia não é nova, e estudos recentes mostram que muitos colapsos históricos, ou períodos de guerra e agitação, coincidiram com mudanças climáticas. Porém, o papel destas mudanças climáticas permanece controverso.
 

Você conhece VNV Nation?

VNV Nation é a abreviação de Victory Not Vengeance (Vitória Não Vingança), é uma banda de música eletrônica de Londres que combina elementos de techno, trance e synthpop, dentro do que chamam futurepop.



 https://www.youtube.com/watch?v=7hrHGDv0leY









Illusion

I know its hard to tell
How mixed up you feel
Hoping what you need
Is behind every door
Each time you get hurt
I don't want you to change
Cuz everyone has hopes
You're human after all

sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Sobre a Análise do Discurso - Maria Alice Siqueira Mendes e Silva

Sobre a Análise do Discurso



Maria Alice Siqueira Mendes e Silva
FATEC, Ourinhos, SP.
(Mestre em Psicologia pela UNESP/Assis e docente do curso de Análise de Sistemas e Tecnologias da Informação da FATEC de Ourinhos)
Revista de Psicologia da UNESP, 2005


Resumo: Este artigo tem por objetivo demonstrar o modo como a Análise do Discurso foi se configurando, historicamente, como um campo teóricometodológico que fornece subsídios para a análise de discursos. Norteando-se pelas concepções de Orlandi (1996,1999), Brandão (1986) e Fiorin (1994), destacam-se as principais contribuições do Marxismo, da Psicanálise e da Linguística para esse campo do saber. Ficou demonstrada a contribuição da Análise do Discurso como um instrumento técnico, tanto das pesquisas em Psicologia, como das diversas áreas do conhecimento.

Palavras-chave: Análise do Discurso; Marxismo; Psicanálise; Lingüística 

Koan para meditação



Tanzan e Ekido certa vez viajavam juntos por uma estrada lamacenta. Uma pesada chuva ainda caía, dificultando a caminhada. Chegando a uma curva, eles encontraram uma bela garota vestida com um quimono de seda e cinta, incapaz de cruzar a intercessão.
"Venha, menina!" disse Tanzan de imediato. Erguendo-a em seus braços, ele a carregou atravessando o lamaçal.
Ekido não falou nada até aquela noite quando eles atingiram o alojamento do Templo. Então ele não mais se conteve e disse a Tanzan:
"Nós monges não nos aproximamos de mulheres!! ...especialmente as jovens e belas. Isto é perigoso. Por que fez aquilo?"
"Eu deixei a garota lá," disse Tanzan. "Você ainda a está carregando"...

Você, nas Mãos do Destino


Certa ocasião, um grande guerreiro japonês chamado Nobunaga decidiu atacar o inimigo embora ele tivesse apenas um décimo do número de homens que seu oponente. Ele sabia que poderia ganhar mesmo assim, mas seus soldados tinham dúvidas. No caminho para a batalha ele parou em um templo Shintó e disse aos seus homens:
"Após eu visitar o relicário eu jogarei uma moeda. Se a 'cara' sair, iremos vencer; se sair a 'coroa', iremos com certeza perder. O Destino nos tem em suas mãos."
Nobunaga entrou no templo e ofereceu uma prece silenciosa. Então saiu e jogou a moeda. A 'cara' apareceu. Seus soldados ficaram tão entusiasmados a lutar que eles ganharam a batalha facilmente.
Após a batalha, seu segundo em comando disse-lhe orgulhoso:
"Ninguém pode mudar a mão do Destino!"
"Realmente não..." disse Nobunaga mostrando-lhe reservadamente sua moeda, que tinha sido duplicada, possuindo a "cara" impressa nos dois lados.



quinta-feira, 28 de novembro de 2013

felicidade: voltar ao ponto de partida



Quase todos sonham com alguém que os entenda, que os ouça, que os ampare e inspire, que os anime...
Homens e mulheres esperam por um companheiro(a) que os ajude a prosseguir mais confiantes... por alguém que os faça felizes, cúmplices de seus segredos...
enfim, alguém que os ame e entenda, que sinta sua falta, mas que também respeite seu espaço,...
Não querem mais saber de teorias, de máximas filosóficas, de ferramentas ou de ‘sabidões’ dizendo o que devem fazer...  "basta de conceitos, de disciplinas ou preceitos morais!!"
Estamos cansados! queremos colo!

segunda-feira, 25 de novembro de 2013

O que aprendi observando a mente

Num vídeo gravado depois do seu retiro, em visita ao CEBB de São Paulo, e intitulado "O que aprendi observando a mente", Henrique deu um depoimento sobre sua experiência e alguns de seus insights, que abrangem o confronto com os obstáculos da sua vida, sua identidade, suas relações, as maneiras como reagimos aos acontecimentos do mundo e sobre o “caminho espiritual.



FONTE:

domingo, 24 de novembro de 2013

Tédio e zen

 
Vamos admitir. O Zen é um tédio. Você não encontrará uma prática mais maçante e tediosa que o Zazen. A filosofia é árida e nada empolgante. Para mim é incrível que alguém ainda leia esta página. Você não percebe que poderiam estar jogando Tetris, bem agora? Que existem milhões de sites pornôs por aí? Por que você não arranja outra coisa para fazer?

quinta-feira, 21 de novembro de 2013

O sujeito do discurso e a subjetivação



O sujeito do discurso e a subjetivação





O sujeito da Análise do Discurso não é o de Descartes (homem dono de si, consciente de suas ações e capaz de conhecer a verdade por meio da razão), nem o das Ciências Exatas (capaz de explicar o objeto através de um conhecimento imparcial). Não é novidade para nós que o sujeito exterior à realidade pesquisada e que observa o fenômeno com imparcialidade, neutralidade e objetividade é uma ficção. 

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Autoconhecimento - Brockwood Park 1978 - Conversa 1



- Khrisnamurti - Autoconhecimento - Brockwood Park 1978


Mooji - A Compreensão do Apego - voltando ao ponto zero

A Compreensão do Apego e “o que fazer” com Ele



“Apenas observe o que aparece de uma posição de neutralidade total, você tem o poder de fazer isso, não é difícil, a maior parte do tempo você já faz isso, você já faz isso com várias coisas, porque você não tem nenhum relacionamento em particular com elas. 
Você pode ver esses dois objetos aqui (mostrando um retrato de Ramana Maharshi e um guardanapo), você pode ver ambos com igual claridade, mas se você tiver um relacionamento diferente com este (mostrando o retrato), então é esse que provavelmente vai lhe causar problemas, não este aqui (mostrando o guardanapo). 
A maior parte das coisas que você vê no mundo não lhe causam problemas, porque você não tem nenhum sentimento especial por elas, você geralmente é perturbado pelas coisas que se tornaram valiosas pra você.” 

 
fonte: dharmalog.com/2013/11/14/para-ver-claramente-e-viver-livremente-por-mooji-nao-se-livre-dos-apegos-apenas-reconheca-o-que-os-observa/



Mooji - Volte para o ponto zero


Trecho de um Satsang com Mooji ocorrido em 02/03/2008 (NOON), em Ubatuba (SP), Brasil. 

"Esteja completamente vazio - jogue tudo fora!

Não tente manter as coisas boas - volte ao ponto zero. 

Não mantenha nenhuma intenção. 

Esteja completamente nu. As emoções podem acontecem; deixe estar, mas não preste muita atenção a nada. Não reprima nada. Permaneça como você é, sem qualquer associação. Não saiba de nada em absoluto. Permita-se simplesmente estar neste momento - nada vai sofrer por causa disso. Não escute a sua mente. Não toque em nenhum conceito." 

 

Este vídeo faz parte do segundo DVD de compilação dos melhores momentos dos Satsangs em Ubatuba, chamado UMA DESCOBERTA REVOLUCIONÁRIA. 

Este e outros DVDs e CDs dos encontros havidos no Brasil podem ser encomendados mandando-se um email para moojibrasil@gmail.com Informações: www.mooji.org

 

Funai faz contato com índios isolados

Agentes da Funai fazem contato com índios korubos, de uma tribo isolada na Amazônia


FONTE: http://www.youtube.com/watch?v=RUDqf2UDhqk#t=15


Primeiro contato de uma tribo com o homem branco

Primeiro encontro da tribo Toulambi, uma tribo da região Owen Ranmge, em Papua Nova Guiné, com um homem branco (exploradores europeus), ocorrido em 1993, de acordo com o site oficial do jornalista belga Jean-Pierre Dutilleux.

As primeiras reações ao ver um homem branco são emocionantes.


Como seria ver alguém diferente pela primeira vez na vida?

Interessantes cenas, do início até o final: o receio e ao mesmo tempo a curiosidade diante do estranho, o primeiro contato com tecnologias e alimentos aparentemente banais como um simples espelho, uma faca, um gravador, arroz, açúcar etc. São imagens realmente impressionantes.


Esta tribo foi atacada pela malária e praticamente dizimada. Após o contato com os brancos, e com o auxílio da moderna medicina, foi possível fazer cessar a doença, o que permitiu a sobrevivência da tribo.

documentário completo:

https://www.youtube.com/watch?v=J7kqYOsZGJk

quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Não ignore a impermanência





Mais uma vez, não ignore a impermanência. O que quer que pareça ser prioritário em sua vida é, na realidade, bastante temporário. Vem e vai. Nada é confiável.
Nascemos sós e nus. Conforme a nossa vida se desenrola, passamos por todas as situações possíveis: necessitar, possuir, perder, sofrer, chorar, tentar… mas depois morremos, e morremos sós. Não fará a menor diferença se fomos ricos ou pobres, conhecidos ou desconhecidos. A morte é o grande nivelador. Em um cemitério, todos os corpos são semelhantes.

armadilhas da meritocracia, num certo país do Terceiro Mundo

Meritocracia, democracia racial e cotas na educação



12/11/13 - Jornal da Cidade - Bauru

No Brasil, desigualdades entre afrodescendentes e brancos ainda são grandes em diversos setores. O polêmico debate sobre a política de ações afirmativas visando o combate à discriminação racial no Brasil tem por base estatísticas reveladoras: negros e pardos ocupam as funções mais modestas e recebem, em média, salário inferior ao dos brancos, mesmo desempenhando as mesmas funções; afrodescendentes com desempenho escolar inferior aos demais; “esquadrões da morte” matando aqui mais negros do que a polícia da África do Sul, durante o regime do Apartheid.

Após a abolição legal da escravidão, uma nova luta ideológico-cultural começou. Para entender a complexidade da questão, é necessário considerar vários fatores. De um dia para o outro, mais de setecentas mil pessoas foram colocadas à disposição de um mercado de trabalho fictício. Parte importante do problema do desemprego estrutural brasileiro nasce daí. Os efeitos contra o afrodescendente se fazem sentir até hoje. Trata-se de um desemprego e subemprego permanentes, que não se minimizou com o fim da escravidão, mas, ao contrário, perpetuou-se. Recentemente, porém, o Brasil optou por reconhecer, após persistente mobilização de minorias étnicas, a existência do racismo, da discriminação e de uma dívida social histórica, já que nem afrodescendente, nem indígenas, foram indenizados pelos séculos de abusos, escravidão e expropriação. Uma vez libertos formalmente, afrodescendentes tampouco tiveram acesso à Educação ou a qualquer tipo de qualificação profissional.

terça-feira, 12 de novembro de 2013

Associações no combate à corrupção

Associações civis tomam as rédeas do combate à corrupção

Gabriela Sales - Hoje em Dia



Montalvânia, vista antes como cidade sem lei, está estancando os desvios de dinheiro público


Usar a força do cidadão para com bater a corrupção é o grande objetivo de grupos populares, cada vez mais comuns, que tentam fiscalizar, denunciar e cobrar punição aos envolvidos em fraudes e desvios de dinheiro público. Organizações não governamentais (ONGs) e associações criadas sem vínculos político-partidários espalhadas pelo país acompanham os trabalhos desenvolvidos por gestores municipais. 
As atividades, que vêm ganhando adeptos em todo o Brasil, começam a dar bons resultados: cassação de gestores, afastamento e prisão de políticos, reparo em obras e até mesmo a devolução de verbas desviadas são alguns dos benefícios de quem dedica parte do tempo para o bem comum: a boa administração pública.

redução da maioridade penal: argumentos pró e contra

Pra que reduzir a Maioridade Penal?

18 razões contra a redução da maioridade penal

Grupo lista 18 razões contra a redução da maioridade penal

1°. Porque já responsabilizamos adolescentes em ato infracional
A partir dos 12 anos, qualquer adolescente é responsabilizado pelo ato cometido contra a lei. Essa responsabilização, executada por meio de medidas socioeducativas previstas no ECA, têm o objetivo de ajudá-lo a  recomeçar e a prepará-lo para uma vida adulta de acordo com o socialmente estabelecido. É parte do seu processo de aprendizagem que ele não volte a repetir o ato infracional.
Por isso, não devemos confundir impunidade com imputabilidade. A imputabilidade, segundo o Código Penal, é a capacidade da pessoa entender que o fato é ilícito e agir de acordo com esse entendimento, fundamentando em sua maturidade psíquica. 

sábado, 9 de novembro de 2013

Marujos!! troquem de roupa!! - como errar na política

Navegavam há meses e os marujos não tomavam banho nem trocavam de roupa. Isso não era novidade na Marinha Mercante Britânica,  mas o navio fedia!
O Capitão chama o Imediato:
- Mr. Simpson, o navio fede! mande os homens trocarem de roupa!
Responde o Imediato: - Yes.....Yes, Sir...
Parte para reunir os seus homens e diz:
- Marujos! o capitão está se queixando do fedor a bordo e manda todos trocarem de roupa.
- David, troque a camisa com John! John, troque a sua com Peter! Peter, troque a sua com Alfred!! Alfred, troque a sua com Jonathan... e assim prosseguiu.
Quando todos tinham feito as devidas trocas, volta ao Capitão e diz:
- Sir, todos já trocaram de roupa.
O Capitão, visivelmente aliviado, manda então prosseguir a viagem...

É mais ou menos isso que vai acontecer no Brasil nas próximas eleições... SE VOCÊ DEIXAR!!



NÃO É A POLÍTICA QUE FAZ O CANDIDATO VIRAR LADRÃO.
É O SEU VOTO QUE FAZ O LADRÃO VIRAR POLÍTICO.

onde reside a felicidade?

O lugar que estamos procurando, onde reside a felicidade, é o contentamento. 
Num restaurante, olhamos ao redor e vemos alguém comendo uma salada que parece deliciosa, um belo bife suculento, um pedaço de pizza derramando queijo ou um bolo duplo de chocolate com chantilly e morangos. Então, chamamos o garçom e dizemos “Quero aquilo”. Quando o prato chega, ele não é tão saboroso quanto imaginávamos. Porque o que queríamos não era a comida – era o contentamento que vimos na outra pessoa.

Se não soubermos o que fazer para encontrar o contentamento mental não conseguiremos ficar felizes nem mesmo com o que comemos. Comer no  melhor restaurante do mundo não fará nenhuma diferença. Existe alguém em uma aldeia na Índia comendo curry em uma tigela de barro que talvez esteja bem mais contente que nós. Quando encontramos o par de sapatos que queremos, por um breve momento nos sentimos contentes. Quando esse momento passa, no entanto, partimos novamente para outra: o sabor da comida não está bom, as roupas não estão bem ajustadas, os lençóis são muito ásperos, a água do banho não está quente o bastante. Precisamos de filmes melhores, livros mais excitantes, um novo relacionamento. Precisamos viver num planeta diferente.

O Desejo
O desejo é uma criatura com apetite insaciável. Por sua própria natureza não pode jamais se satisfazer, pois está enraizado na agressão de sempre procurar alívio fora de nós. Essa expectativa sempre resulta em desapontamento. É a mente que nos coloca em apuros. Reconhecer de que maneira nos metemos em apuros é inteligência. O payu – saber quando parar – tem por resultado o contentamento. Esse contentamento é como estar perdido em uma floresta e, finalmente, saber como sair dela. E a confiante força que se desenvolve por saber que já temos aquilo que precisamos nos torna ternos. Quando estudei no Nepal, com Tulku Urgyen, um dos antigos mestres do Tibet, fiquei tremendamente impressionado por algo que ele me disse: “Sendo agressivo, você pode realizar algumas coisas, mas com ternura você pode realizar todas.”

Texto extraído de “Governe seu mundo: Estratégias Antigas para a Vida Moderna", por Sakyong Mipham

FONTE: http://sobrebudismo.com.br/o-lugar-que-estamos-procurando-onde-reside-a-felicidade-e-o-contentamento-sakyong-mipham/ 

Batra estimula participação política

08/11/13 05:00 - Geral

Batra estimula participação política

Primeira edição do Torneio Cidadania Consciente sensibilizou os jovens sobre a importância do engajamento

 

Ricardo Santana
A ONG Bauru Transparente (Batra) promoveu, no mês passado, o 1º Torneio Cidadania Consciente. A proposta foi de sensibilizar adolescentes e jovens para a importância da participação nas decisões políticas que norteiam a sociedade na qual estão integrados.
O coordenador do projeto pela Batra, Silvio Motta Maximino, comenta que o resultado é o entendimento por parte dos estudantes do ensino médio, público-alvo do projeto, da necessidade da sua interação com a vida política e monitoramento das atividades desenvolvidas por políticos e partidos que representam a sociedade.
Um dos problemas combatidos pelo torneio é o afastamento de adolescentes e de jovens da vida política institucional devido a recorrentes escândalos de corrupção envolvendo políticos brasileiros.
Na região de Bauru, são cerca de 36 mil alunos do ensino médio em escolas estaduais ligadas à Diretoria Regional de Ensino (DRE) de Bauru.
O projeto iniciou em 2012 com o período de mobilização das escolas e estudantes. De junho a agosto deste ano, seis escolas, cinco de Bauru e uma de Reginópolis, se inscreveram.
Exemplares do livro “Cidadania Consciente no Regime Democrático”, produzido pelos voluntários da Batra, com o apoio para a impressão da Instituição Toledo de Ensino (ITE), foram distribuídos para as escolas. A publicação serviu de base ao quiz realizado na ITE no mês passado.

Vencedora
A etapa final do torneio foi vencida pela Escola Estadual Sueli Aparecida Sé Rosa, de Bauru, na disputa promovida no último dia 19 de outubro, na ITE. Em segundo lugar ficou a Escola Estadual Prof. Durval Guedes de Azevedo, também de Bauru. Na terceira posição, ficou a Escola Estadual Prof. Carlos Correa Vianna, de Reginópolis. Cada equipe vencedora e suas respectivas escolas receberam prêmios, como notebooks e IPods.
Simultaneamente ocorreu um concurso de redação com o tema “Como a Lei da Transparência favorece a cidadania em Bauru?”.
O pessoal da Sueli Aparecida Sé Rosa novamente teve excepcional performance, vencendo o concurso com a redação do estudante Jefferson Henrique de Oliveira, premiado pela primeira colocação com uma bolsa de estudos no curso pré-vestibular do sistema COC de Ensino. O segundo e terceiro colocados receberam prêmios em dinheiro.
Para o 1º Torneio Cidadania Consciente a Batra contou com a parceria da DRE de Bauru, Receita Federal, ITE, USC e Colégio COC Rembrant.


uma história de Nazrudin


“Há uma ótima história de Nazrudin, o mestre Sufi, que tinha o talento de contar histórias absurdas. Eis uma história:

Um dia, Nazrudin enviou um de seus discípulos ao mercado e pediu-lhe que comprasse um pacote de pimentas. O discípulo foi e voltou com o pacote para Nazrudin, que começou a comê-las, uma atrás da outra. Logo seu rosto ficou vermelho, seu nariz começou a escorrer, seus olhos começaram a lacrimejar e ele começou a engasgar.
O discípulo assistiu a isso por algum tempo com certo receio e então disse:
“Senhor, seu rosto está ficando vermelho, seus olhos cheio de água, e você está engasgando. Por que você não para de comer essas pimentas?”.
Nazrudin respondeu: “Estou esperando que apareça uma docinha”.
-x-x-x-x-x-x-x-x-


  Nós, também, estamos esperando por algo, em algum lugar, que criará a paz e a felicidade por nós. (...) Nossos olhos estão lacrimejando, nossos narizes escorrendo, mas ainda não largamos mão de nossas ilusões. "Deve haver uma docinha no fundo do pacote!"
Não adianta pensar, ouvir ou ler a respeito: devemos olhar dentro de nossos corações e perceber a realidade interior. Quanto mais o coração estiver querendo e desejando, mais dura e difícil a vida se torna.”

~ Ayya Khema, em “Be an Island: The Buddhist Practice of Inner Peace” (pg. 69)


FONTE:
http://dharmalog.com/2013/11/06/esperar-que-felicidade-e-paz-cheguem-ceu-e-procurar-uma-pimenta-doce-sabias-historias-de-nazrudin/

sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Natureza Incrível em HD 1080p

Uma belíssima coleção de flores, pequenas plantas, árvores e folhas se abrindo, buscando o sol, pegando chuva e fazendo outros movimentos que nossos olhos humanos geralmente não captam pela velocidade diferente, mas que, usando o recurso do time-lapse (efeito de “aceleração do tempo”), fica evidente. O vídeo é intitulado “Amazing Nature“, editado por Chokchai Love King, e já tem mais de 1,6 milhões de visualizações no YouTube.
A música é “Phantasmagoria” (álbum Symphonic Fantasia), de Simon Arthur Rodes.
Recomendável assistir na resolução máxima de 1080p HD (altere nos ícones de controle do próprio vídeo)

Assista abaixo:
http://dharmalog.com/2013/11/01/pra-contemplar-51-5min-com-danca-crescimento-de-flores-e-arvores-em-time-lapse-hd-video/

sábado, 2 de novembro de 2013

Integralismo e determinismo racial no Brasil

abaixo o excerto da tese de doutorado de Natalia dos Reis Cruz, publicado por Iba Mendes, abordando a questão do racismo no Brasil da primeira metade do século XX

 


"As idéias dos teóricos raciais citados podem ser agrupadas em uma corrente de pensamento em voga no período em questão: o darwinismo social, cuja base era o determinismo racial. Os darwinistas sociais eram pessimistas quanto à miscigenação de raças, pois acreditavam que nem mesmo um processo de evolução social levaria à transmissão de caracteres adquiridos. Dentro desta concepção, as raças eram vistas como produtos finais, não poderiam ser “melhoradas” ou “aperfeiçoadas”, sendo imutáveis por natureza. Por isso, o cruzamento racial era visto como um erro, que levaria à degeneração racial e social.

O homem está dormindo...



O homem está dormindo. Este sono não é o sono comum, é um sono metafísico. Mesmo quando você pensa que está acor­dado, você permanece adormecido.

Com os olhos abertos, andando na rua, trabalhando em seu escritório, na escola ou na biblioteca
, na igreja ou no clube, você permanece adormecido... você está adormecido em todo lugar. Você está simplesmente adormecido.


Esse sono metafísico tem de ser quebrado, esse sono metafísico tem de ser completamente abandonado. A pessoa tem do tornar-se uma chama de consciência. Somente então a vida começa a ser significativa, somente então a vida ganha significado, somente então é vida, não a vida do dia-a-dia, comum, rotina maçante - a vida tem poesia em si e mil e uma flores de lótus no coração. Então há Deus.

Nosso planeta, visto da órbita da estação espacial - em HD

nosso planeta, visto a partir do espaço

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Eduardo Giannetti - As respostas que a ciência não oferece


A mente ambiciosa não consegue meditar



Uma mulher recebeu um bilhete da escola.

“Seu filho é muito inteligente”, estava escrito no bilhete do pro­fessor que acompanhava o boletim, “mas ele passa muito tempo brin­cando com as meninas. Estou pensando em um meio de mudar esse hábito dele.”

A mulher assinou o boletim e o enviou de volta com outro bilhe­te: “Avise-me se der certo e tentarei fazer o mesmo com o pai dele”.

As pessoas estão sempre procurando dicas para controlar os outros, dicas que podem gerar vantagens — dicas vantajosas. Se estiver procu­rando dicas para controlar os outros, você sempre será controlado pela mente.

Não pense mais em controlar os outros. Quando abandonar a ideia de controlar os outros — marido ou mulher, filho ou pai, ami­go ou inimigo —, quando abandonar essa ideia, a mente não terá mais poder sobre você, porque ela se tornará inútil.