sábado, 28 de fevereiro de 2015

O Manifesto dos Inúteis




O Manifesto dos Inúteis

e o medo de impeachment no Brasil

 
A exemplo do infeliz e ridículo manifesto ideológico "Pelo Direito de Manifestação, Pelo Direito de Ir e Vir”, lançado por certos ‘intelectuais’ em maio de 2014, (vide minha análise detalhada em http://oficina-de-filosofia.blogspot.com.br/2014/06/manifesto-pelo-direito-de-ir-e-vir.html), eis que temos agora novo manifesto igualmente ridículo e completamente inútil intitulado: "O que está em jogo agora" (Manifesto na íntegra, disponível em http://congressoemfoco.uol.com.br/noticias/187168/).

É quando se lê manifestos desse quilate que passamos a ter uma noção mais exata do abismo intelectual e cultural que separa, em termos de coerência política e ideológica, o Brasil, do restante dos países sérios do 1º Mundo. É a partir de manifestos desse tipo que passamos a ter uma noção aproximada da categoria medíocre de intelectuais militantes que temos em nosso país. Novamente em cena os mesmos profetas do passado, os mesmos vira-latas e mete-medos, ainda e mais uma vez a difundir suas surradas teorias conspiratórias de sempre.

Sabe qual é o problema desses manifestos de nacionalismo barato e extemporâneo? Apelam para a semiótica de símbolos e ícones linguísticos sem admitir que o verdadeiro atentado terrorista que jogou na lama nosso "maior símbolo nacional", não foi perpetrado pelo 'PIG', nem pela elite raivosa, por si só débil e igualmente corrupta, mas pelo mesmo grupo que ocupa hoje o Poder Político e que defendem com unhas e dentes em seu manifesto.  (veja análise mais detalhada em http://oficina-de-filosofia.blogspot.com.br/2015/02/o-vexame-petrobras-e-o-ufanismo.html)



A ação de impeachment e os riscos de um Golpe de Estado

Seu intento é sempre o mesmo: convencer incautos de que o exercício regular de nossos direitos constitucionais (direito de manifestação pública, direito de ação de impeachment, por exemplos) constitui grave ameaça à sacrossanta democracia duramente conquistada. Preconizam a seguinte premissa: devemos garantir a qualquer preço (a qualquer preço mesmo!!) que umgoverno legitimamente eleito” deve ser preservado, sob pena de mergulharmos novamente numa nova “Idade das Trevas e de Chumbo”.  E não importa se esse (des)governo se mostra absolutamente incompetente, absolutamente mentiroso, desonesto e corroído em estágio de metástase, pelo câncer da corrupção. Ele é intocável, ele é tabu. Não se pode censurá-lo, não se pode questioná-lo, não se pode exigir dele coerência ideológica, não se pode exigir competência, e o mais importante: em caso nenhum se deve cogitar de exigir a ética que tanto acenaram durante a campanha. 

Não, senhores autores de manifestos! O cargo, seja de Prefeito, seja de Presidente depende sim de coerência, de ética e de respeito aos princípios legais mais elementares da Administração Pública, (dentre os quais estão a moralidade, a eficiência, a impessoalidade etc). Assim, se o ocupante de tais funções públicas se mostra inapto e aquém dos princípios éticos mais básicos, pode sim ser retirado do posto que ocupa por aquele mesmo povo que o elegeu. Seus legítimos representantes o farão legal e legitimamente, independente do fato daquele governante ter sido “legitimamente eleito”.

Ao longo dessa prática secular, outro fato se vem tornando evidente: o termômetro do impeachment é a vox populi. Sem a voz do povo, o impeachment é um instituto mudo ou tartamudo. Ela o exige e o impulsiona e, até, em certos casos, o dispensa. Antes dos representantes eleitos pelo povo, é o próprio povo que admite ou rejeita o processo, condena ou inocenta o acusado. Assim é o impeachment republicano: uma função política em que o povo e a representação popular agem um em razão do outro: a representação reage na razão direta da pressão popular. Essa condição de existência do impeachment – interação direta com a voz do povo, condição até então latente – ficou patente entre nós com o caso Collor(...)
(Estudo sobre o "impeachment", de Sérgio Resende de Barros)

O impeachment chegou ao Brasil junto com o constitucionalismo republicano e permanece até hoje, haja vista que a Constituição de 1988 o contempla em suas duas modalidades. A primeira é o impeachment propriamente dito, cujos acusados podem ser o Presidente e o Vice-Presidente da República (em crimes de responsabilidade), além de Ministros de Estado e Comandantes das Forças Armadas em crimes da mesma natureza, conexos com aqueles. Além disso, temos o impeachment dos Ministros do STF, do Procurador-Geral da República e do Advogado-Geral da União. 

Simplesmente não há como negar ao impeachment o status de instituto republicano absolutamente legítimo. Prova disto está no fato de que o texto constitucional de 1891 (primeira constituição republicana brasileira) já o previa, tendo permanecido incólume nas constituições de 1934, de 1937, de 1946, de 1967 e na Emenda Constitucional de 1969, até nossa atual ‘constituição cidadã’.

A suspeita dessa categoria de intelectuais, de que um eventual processo de impeachment nos lançaria no mesmo abismo que vivenciamos em 1964 é absurda, não científica e beira a lenda urbana, haja vista que: 1º)  estamos em contexto sócio-histórico-político completamente distinto daquele vivenciado no auge da Guerra Fria; 2º) nossa História recente demonstrou, com o processo de impeachment de Fernando Collor de Melo, que nossa Democracia não se desmanchou no ar. A ação de impeachment não constitui ruptura institucional, não constitui golpe à democracia, nem tampouco ameaça ao Estado de Direito, como insinuam os mete-medos traumatizados pelo Golpe de 1964. 

Além do mais, não há porque tais intelectualoides tremerem diante da possibilidade de serem escorraçados e enxotados dos gabinetes e ministérios palacianos de Brasília. Isso não irá acontecer no Brasil tão cedo. Por que? Porque não somos um país sério. Não somos uma Nação séria e preocupada com seus cidadãos. Com o quê nossos representantes se preocupam? Apenas e tão somente com sua própria sobrevivência política e demais vantagens pecuniárias dela decorrentes.

Sendo assim, Senhores autores de manifestos: 
Não precisam temer nem fantasiar novos golpes de Estado. Não precisam gastar inutilmente suas penas, desperdiçar tinta e papel. Nenhum  impeachment acontecerá nessa ‘terra de ninguém” (na expressão usual de Darcy Ribeiro).  Aliás, golpes o povo os sofre diariamente, partindo daqueles mesmos traidores que elegeram, ano após ano, desde que os republicanos positivistas e depois os marxistas se apossaram “legitimamente”, dos cofres públicos. 


silvio mmax.

a origem do carma

“Todas as coisas são precedidas pela mente, guiadas e criadas pela mente. Tudo o que somos hoje é resultado do que temos pensado. O que hoje pensamos determina o que seremos amanhã. Nossa vida é criação de nossa mente.”

“Se um homem fala ou age com o pensamento puro, a felicidade o acompanha como uma sombra que jamais o deixa.”

(Buddha)

música: Nosowska e seu "Unisexblues"

"Unisexblues" - Kasia Nosowska 

Kasia Nosowska é conhecida principalmente como vocalista da banda Hey, mas por vários anos, compôs também CDs próprios. 

Em maio de 2007, apresenta o álbum "UniSexBlues". Neste álbum há uma grande variedade de estilos. Você pode encontrar elementos de um bom pop, R & B, disco, blues e rock. 

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

música: Kasia Nosowska

E viva a diversidade cultural!!

vários ritmos e uma cantora polonesa:

Kasia Nosowska 

 

Nosowska & Renata Przemyk - kochana

lindíssima música e clip!!

https://www.youtube.com/watch?v=_G3QKqGwi3I

 

Kasia Nosowska Nerwy i Wiktoriańscy Lekarze 

 

 

Kasia Nosowska - Era Retuszera

clip fantástico!!! assista clicando no link abaixo:

 https://www.youtube.com/watch?v=EZ3vvwVklr8

 

 


Kasia Nosowska - Taka jestem zakochana














breve biografia:


Kasia Nosowska é conhecida principalmente como vocalista da banda Hey , mas por vários anos, compôs também CDs próprios. Como solista teve seu álbum de estreia em 1996. 
O álbum single, "Se você sabe o que quero dizer", que também passou a trilha sonora para o filme "agridoce". Album - inicialmente recebida com cautela - ele logo foi promovido: Kasia recebeu, em 1997, dois "Frederica" ​​para o melhor álbum como melhor música alternativa e melhor compositora. 
De 1997 para 1998 gravou um novo álbum solo Nosowska - "Milena". 
Em 2000 ele lançou seu terceiro álbum, a cantora - "Sushi", totalmente gravado em um estúdio em casa. O produtor foi novamente Andrzej Smolik, que também compôs a maioria das canções. Destaque a Robert Brylewski (vozes, teclados), Mikolaj Trzaska (equipe Love) e Anthony Neale, cantor Mainstream. Finalmente, no álbum contém 12 faixas, três dos quais ela cantou em uma linguagem "Nosowska", inventado por ela mesma. 
Só depois de sete anos Nosowska retornou como cantora solo. Em maio de 2007, apresenta o álbum "UniSexBlues". O grupo Pogodno
foram co-autores do disco. No "UniSexBlues" passou 14 músicas uma grande variedade de estilos. Desta vez, você pode encontrar os elementos de um bom pop, R & B, disco, blues, rock. 
Após o álbum "UniSexBlues" veio o álbum "Osiecka", contendo composições arranjos e performances inspiradas no espírito original criado por Martin Macuk e músicos de UniSexBlues Band. As músicas foram gravadas no início de novembro de 2008. 
Somente em 2011, lançou outro "single solo": "Nômade".
A cantora também fez também duetos com outros artistas, entre outros, Kazik e Renata Przemyk.
 

Site oficial: http://www.nosowska.pl 

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Eurythmics - There Must Be An Angel

dica musical: Eurythmics - 

There Must Be An Angel (Playing With My Heart)




No-one on earth could feel like this
I'm thrown and overblown with bliss
There must be an angel
Playing with my heart
I walk into an empty room
And suddenly my heart goes "boom"!
It's an orchestra of angels
And they're playing with my heart

(Must be talking to an angel)

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

O Exército fantasma da 2a. Guerra Mundial

Durante uma guerra, principalmente no passado, todas as artimanhas, por mais toscas e simples que fossem, eram utilizadas para poupar a vida de alguns soldados ou salvaguardar equipamentos caros e importantes, por isso os americanos criaram uma das mais inteligentes invenções da história das guerras:
 

O exército fantasma

ghost-army-22

O 23rd Headquarters Special Troops, conhecido como Exército Fantasma ou mesmo Santo, é um pelotão especial, que realizou grandes tarefas e foi importantíssimo na vitória americana em diversas batalhas, além de ter poupado a vida de muitos.
Esse grupo de soldados tinha algo diferente desde a formação mais básica, pois em vez de combatentes, ele era formado por pintores, técnicos em som e artistas, totalizando 1100 pessoas.


Esse pelotão, ao contrário de todos os outros, não queria matar ninguém, eles desejavam apenas enganar. Alguns atores, que faziam parte do Exército Fantasma, tinham como missão espalhar mentiras. Eles iam a bares, disfarçados de soldados ou de superiores, e contavam histórias de ataques iminentes, movimentação do exército e todo tipo de mentira, para criar boatos falsos, que deixariam os generais nazistas confusos.
O foco dos “fantasmas” era enganar os inimigos no próprio campo de batalha. Usando sons gravados, tanques de plástico e efeitos de luz, eles eram capazes de dobrar o tamanho de uma companhia. Durante a Operação Bettembourg, em setembro de 44, os americanos tinham um número pequeno de soldados para tomar a cidade de Metz, por isso o 23rd Headquarters Special Troops foi convocado com seus alto-falantes e tanques infláveis. Antes de sua chegada ao local, os nazistas haviam partido em retirada.


A mais famosa manobra feita pelo Exército Fantasma aconteceu na travessia do Reno, quando eles, junto com um pequeno grupo de soldados de verdade, levaram os nazistas a acreditarem haver 30 mil soldados americanos, quando na verdade não existia um terço desse número. Graças a isso, os americanos puderam cruzar o rio sem perder nenhum homem.

Os soldados, que fizeram parte do Exército Fantasma, foram proibidos, após a guerra, de contarem sobre seus feitos ou falar a parentes o que tinham feito. Somente em 1996, o governo americano liberou informações sobre essa unidade, fazendo ela deixar de ser secreta. Acredita-se que, pelo menos, 30 mil vidas americanas tenham sido salvas por esses artistas e suas enganações.


fonte:
http://minilua.com/exercito-fantasma-segunda-guerra/

sábado, 21 de fevereiro de 2015

dica de site: conheça Gizmodo Brasil


Neste endereço encontrei interessantes artigos e ensaios a respeito de temas diversos. Para quem gosta de conhecer as últimas inovações em tecnologia também vão encontrar um prato cheio. 
Este site já tem cinco no Brasil e eu nem fazia ideia da sua existência.
Fica a dica: http://gizmodo.uol.com.br/

documentário: cidadania e corrupção

A luta contra a corrupção é uma luta árdua que exige muita energia para manter o propósito frente às dificuldades e desafios encontrados. 

A ação contra a corrupção confronta-se com interesses organizados, tanto públicos como privados, porém é uma luta possível. 

O documentário* retrata o impacto da corrupção na vida dos brasileiros no sertão do Piauí e também a forma de atuar da Força Tarefa Popular (FTP). A FTP realiza, desde 2001, a Marcha Contra a Corrupção e Pela Vida, na qual os marchantes percorrem a pé o sertão, fiscalizando as obras públicas municipais, os convênios estaduais e federais, e outras possíveis irregularidades. 

Através do controle social e da parceria com os órgãos estaduais de controle, a organização está contribuindo para a correta aplicação dos recursos públicos e para transformar a realidade de muitos brasileiros. 

 *esse vídeo foi utilizado como parte de um trabalho de conclusão de curso.

SEDE DE SER

Gênero: Documentário
Direção e Roteiro: Nicole Verillo Campello
Produção: Marcinho Sanches e Otávio Lino
Fotografia: JSA Produções e Lirian Pádua
Trilha Sonora: Coração Bobo (Alceu Valença/Zé Ramalho) / Disparada (Geraldo Vandré) / O Trenzinho do Caipira (Heitor Villa-Lobos/Rodrigo Lemos) / Samidarish (Chico Science & Nação Zumbi).
Duração: 27'27"
Ano: 2014
País: Brasil
Direitos: Este documentário possui fins didáticos e educativos. Sua cópia e-ou a reprodução, sem a prévia autorização do autor, por quaisquer meios ou processos existentes ou que venham a ser inventados, é vedada, por conter trilha sonora de direitos reservados que não autorizam a comercialização. Estas proibições aplicam-se também às características da obra e à sua editoração. É permitida somente a reprodução total ou parcial sem fins lucrativos e com fins didáticos, preservada a integridade das informações e citada a fonte e o nome dos artistas e músicas, conforme ficha técnica aqui presente.

     

    terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

    tempo e eternidade

    "O tempo é muito lento para os que esperam,
    muito rápido para os que têm medo,
    muito longo para os que lamentam,
    muito curto para os que festejam.
    Mas, para os que amam, o tempo é eternidade"
    (atribuído a William Shakespeare)

    segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

    sentimentos e emoções: uma abordagem antropológica

    Micro-ensaio sobre a condição humana



    Parte I - A confusão entre sentimento e emoção

    Iniciemos com uma comparação simples: medo e insegurança. Há diferença entre uma coisa e outra? 

    A Biologia sabe que o medo é uma emoção básica (instintiva, pode-se dizer). Todos precisam dele a partir do momento em que nascem... em um primeiro momento para sobreviver e em seguida, também para não causar danos graves a outras pessoas. Neste sentido, uma pessoa 'destemida' (que nunca sente medo), é alguém perigosíssimo, para si mesmo e para a sociedade. Não sentir medo, por assim dizer, pode ser um sintoma de uma séria patologia (cuja origem pode ser congênita ou adquirida, física ou psíquica).
    O mesmo pode-se dizer da ausência ou excesso de qualquer outra emoção: alegria, tristeza, raiva, surpresa... Além disso, pode-se afirmar também que toda emoção apresenta um conjunto mais ou menos definido de sintomas mensuráveis biologicamente (no plano fisiológico): níveis de concentração de hormônios variados (insulina, endorfina, serotonina, adrenalina, dopamina etc), nível de pressão arterial, de sudorese ou de tensão muscular, velocidade dos batimentos cardíacos, dilatação da pupila, medição de temperatura ou do fluxo sanguíneo em áreas específicas do cérebro etc são apenas alguns exemplos de dados que podem ser medidos e sistematicamente comparados em laboratório.

    Então, como funciona um sentimento?

    Já, por outro lado, a insegurança (como qualquer outro sentimento), é de dificílima mensuração fisiológica.
    Outra característica é que sua 'construção' é da alçada do sujeito cognoscente, geralmente em sua interação com o 'meio ambiente', evidentemente. O 'meio' ao qual nos referimos aqui precisa também ser melhor especificado.


    domingo, 15 de fevereiro de 2015

    Curso avançado de Esperanto

    Na próxima quinta-feira, dia 19 de fevereiro, às 18 horas, na Sede da Sociedade Bauruense de Esperanto (Rua Batista de Carvalho, 4-33, 14º andar, sala 1403), daremos início a um curso de Esperanto em nível avançado, baseado em análise de textos e conversação, para aqueles que já concluíram o curso básico.

    Mais informações: entre em contato.

    Armin van Buuren - Exclusive Minimix Intense

      


    Eis "Intense": 

    o quinto álbum do artista Armin v. Buuren é uma síntese musical de 3 anos de produção e está repleto de composições e fusões musicais extraordinárias.

     

     

     

    Lista de reprodução deste vídeo:

    1. Intense (feat. Miri Ben-Ari)
    2. This Is What It Feels Like (feat. Trevor Guthrie)
    3. Beautiful Life (feat. Cindy Alma)
    4. Waiting For The Night (feat. Fiora)
    5. Pulsar
    6. Sound Of The Drums (feat. Laura Jansen)
    7. Alone (feat. Lauren Evans)
    8. Turn This Love Around (with NERVO feat. Laura V.)
    9. Won't Let You Go (feat. Aruna)
    10. In 10 Years From Now
    11. Last Stop Before Heaven
    12. Forever Is Ours (feat. Emma Hewitt)
    13. Love Never Came (feat. Richard Bedford)
    14. Who's Afraid Of 138?!
    15. Reprise (feat. Bagga Brownz)
    16. Humming The Lights (presents Gaia) (Bonus Track)


    Este CD você encontra em: http://www.armadamusicshop.com/intense

    http://www.facebook.com/armadamusic
    http://www.facebook.com/arminvanbuuren
    http://www.youtube.com/arminvanbuuren
    http://www.armadamusic.com/googleplus
    http://www.armadamusic.com
    http://www.arminvanbuuren.com