domingo, 20 de novembro de 2016

vós sois deuses? a sabedoria e a consciência da sabedoria




As seguintes passagens bíblicas que você lerá logo mais, a exemplo de tantas outras, encerram ensinamentos tão profundos quanto poderosos (e por que não dizer 'perigosos'). 
Se todo o saber camuflado sob códigos e metáforas que há nos textos sagrados das grandes religiões do mundo fossem interpretados e compreendidos à luz da própria consciência, teríamos uma melhor noção das armas poderosas que temos em mãos. 
Mas o que fazer com tão formidáveis armas? O que acontece quando alguém inconsciente manipula uma arma? Quem serão os piores (mas não os únicos) prejudicados?
Sem a luz da consciência, não há visão clara, nem discernimento, nem compreensão objetiva da realidade; há distorção. 
Quando em nós, o ego distorce/encobre essa luz, não vemos a realidade objetiva, mas sombras, isto é, um resultado, um produto subjetivo dessas distorções (tal qual Platão esclarece em sua "Alegoria da Caverna"). 
O código a que se tem acesso, projetado no espelho da mente (como sendo 'realidade'), refletirá os próprios desejos, ambições, fantasias e medos subjetivos do interpretante, sem que ele próprio se aperceba da armadilha.
É aí que acontece o problema: só seremos capazes de interpretar tal reflexo, invariavelmente misturado a preconceitos e prejulgamentos. 
É fato que nosso paradigma cultural (previamente armazenado na memória coletiva e individual) condiciona e filtra o que lemos.
Há em todos os livros sagrados, centenas de passagens enigmáticas, cuja chave para interpretá-las depende do quão disponíveis e conectados estamos à consciência. A intuição (como expressão dessa consciência) é essa "luz" que instantaneamente mostra, revela o que está oculto por trás dos signos e dos códigos. É sempre a consciência que esclarece o sentido (o qual será mais ou menos profundo, mais ou menos distorcido, conforme o estágio de maturidade espiritual em que cada qual esteja. 
É por isso também que cada qual consegue "ver" aquilo que está preparado para ver. Só conseguimos "alcançar" tão somente aquilo que somos capaz de aceitar ou compreender.  
A sabedoria de tais textos sagrados, portanto, pode permanecer mais ou menos obscura. Ela não se revela identicamente a todos. Noutras palavras, a sabedoria se revela a cada um, segundo sua própria capacidade de assimilá-la. Essa capacidade pode ser individual ou coletiva. De qualquer modo,"não vemos além daquilo que não conseguimos entender ou aceitar como possível".




Agora reflita profundamente nas seguintes importantíssimas passagens bíblicas:
  

“Respondeu-lhes Jesus: Não está escrito em vossa Lei: 'Eu disse: vós sois deuses?'* Se a Lei chama deuses àqueles a quem se dirigiu a palavra de Deus – e a Escritura não pode falhar – como podeis dizer que blasfema aquele que o Pai santificou e enviou ao mundo só porque eu disse: ‘Sou Filho de Deus’?
(João 10:34-36)                                                                         * Salmo 82:6



 (...)Crede-me quando digo que estou no Pai e que o Pai está em mim; crede-o, ao menos por causa das mesmas obras. Em verdade, em verdade vos asseguro que aquele que crê em mim fará também as obras que Eu faço e outras maiores fará, pois eu vou para o meu Pai.(...)  
(João 14, 11-12)


 Não sabeis vós que sois o templo de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós? Se alguém destruir o templo de Deus, Deus o destruirá; porque o templo de Deus, que sois vós, é santo.
(1 Coríntios 3:16,17)


“Fala a toda a comunidade dos filhos de Israel. Tu lhes dirás: Sede santos, porque Eu, Yahweh vosso Deus, o SENHOR, sou santo!
(Levítico 19:2)




“Sede perfeitos como vosso Pai celeste é perfeito.” 
(Mt 5,48)

Nenhum comentário:

Postar um comentário